Menu Principal
Início
O que é Nutrição Funcional?
Cursos de Extensão
Curso Pós Graduação
Blog
Currículo
Links
Bibliografias
Nutricionistas Funcionais
Artigos/Matérias
Contato
Procurar
Gestação Saudável
Infertilidade
Esclerose Múltipla e Nutrição
Próstata e Nutrição
Disfunção Erétil
Cálculos renais
Sensibilidade ao Glúten
Distúrbios de Humor
Distúrbios do Sono
Administrator

 
 

Alternative content


Próstata e Nutrição PDF Imprimir E-mail
Por Gabriel de Carvalho   

Nutrição Funcional nas Doenças Prostáticas

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino cuja função é produzir e armazenar o sêmen. Entre os pacientes que procuram atendimento relacionado à próstata, as queixas mais comuns são prostatites, hiperplasia benigna da próstata e o câncer de próstata.

O câncer de próstata é o sexto tipo de câncer mais comum no mundo e no Brasil é o mais prevalente após o câncer de pele não melanoma. Este é considerado o câncer da terceira idade, pois normalmente surge após os 65 anos de idade.

Alguns estudos relatam que uma alimentação excessiva em gorduras de origem animal, carne vermelha, carnes processadas, churrasco, frituras e alimentos fontes de cálcio esta associada ao aumento do risco de desenvolver este tipo de câncer; já uma dieta rica em vegetais, selênio e licopeno tem sido indicada como um fator de proteção e prevenção contra esta doença.

Outro elemento fortemente relacionado nos estudos com o desenvolvimento de anormalidades na próstata é a obesidade. Alguns autores relatam que o tecido adiposo é capaz de armazenar pesticidas lipossolúveis e produzir hormônios androgênicos, indutores da proliferação desordenada de células prostáticas. Outros trabalhos mostram que indivíduos portadores de gordura visceral e síndrome metabólica apresentam inflamação crônica e por este motivo possuem uma elevada produção de citocinas pró-infamatórias e de fator nuclear beta (NF-kB), proporcionando uma proliferação desordenada de células prostáticas e uma redução da defesa do organismo.    

 Depois destas explicações fica lógico se pensar em reduzir as citocinas pró-inflamatórias e os níveis de NF-kB para diminuir a probabilidade de se desenvolver alterações na próstata, sendo que uma das formas de fazer isto é consumindo resveratrol, substância presente em uvas e sementes oleaginosas.

Vários estudos indicam que o consumo de alimentos ricos em licopeno (goiaba, melancia, mamão e pitanga), principalmente de tomate, modulam a expressão de uma proteína reguladora do crescimento da próstata e esta inversamente associado com os níveis de PSA e com sintomas do câncer de próstata como dor e dificuldade para urinar.

Além destes alimentos, o consumo de selênio também tem apresentado boas respostas pela sua atividade antioxidante e por induzir a apoptose (morte) nas células anormais, isto é, antes de desenvolver o câncer de próstata. As sementes oleaginosas, principalmente a castanha-do-Brasil, são ricas neste nutriente.

Outras substâncias como ácido graxo ômega 3 e Camélia Sinensis (chá verde, branco, vermelho) ajudam a reduzir a proliferação de um tumor já instalado, aumentando a sobrevida do paciente.

 A modulação das células através da nutrição funcional têm mostrado ótimos resultados quando falamos em prevenção e redução de anormalidades na próstata. Use o alimento como o seu medicamento e tenha longevidade!

Juliana Bueno

Nutricionista Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional – CRN2 8860

Para agenda ruma consulta entre em contato em contato pelo telefone 51-3224 4046 ou nos visite na rua Vigário José Inácio, 630/703, Porto Alegre.