Menu Principal
Início
O que é Nutrição Funcional?
Cursos de Extensão
Curso Pós Graduação
Blog
Currículo
Links
Bibliografias
Nutricionistas Funcionais
Artigos/Matérias
Contato
Procurar
Gestação Saudável
Infertilidade
Esclerose Múltipla e Nutrição
Próstata e Nutrição
Disfunção Erétil
Cálculos renais
Sensibilidade ao Glúten
Distúrbios de Humor
Distúrbios do Sono
Administrator

 
 

Alternative content


Cálculos renais PDF Imprimir E-mail
Por Gabriel de Carvalho   

Nutrição Funcional na Nefrolitíase (“pedra nos rins”)

A nefrolitíase possui alta prevalência na população (5 a 10%) e vem aumentando nos últimos 30 anos. Estudos mostram que 10% da população terá 1 episódio em sua vida. Além disso, a recorrência desta doença é elevada, sendo 15% em 1 ano, 35 a 40% em 5 anos e 50% em 10 anos.

Os fatores de risco são alterações no pH urinário, distúrbios metabólicos, infecção do trato urinário, dieta com excesso de alguns nutrientes (cálcio, fósforo, ácido úrico, oxalato), diabetes mellitus tipo II, cirurgia bariátrica (aumenta risco de pedras por oxalato) e dietas com alto teor de proteína.

O cálculo pode ser formado por:

-Hiperoxalúria – perda excessiva de oxalato

-Hiperuricosúria – perda excessiva de ácido úrico

-Hipercalciúria- perda excessiva de cálcio

-Hiperfosfatúria – perda excessiva de fosfato

-Hipocitratúria- baixo nível de citrato que é um elemento protetor contra cálculos

Antigamente a restrição de cálcio era preconizada por portadores de pedra nos rins, porém hoje já se sabe que esta conduta leva ao aumento da quantidade de oxalato, aumentando a probabilidade deste tipo de cálculo. Devemos ter cálcio na quantidade correta na dieta.

Dentre os alimentos ricos em oxalato, podemos destacar: espinafre, cerveja, chocolate, cacau, feijão, cebolinha, castanhas, beterraba e folhas dela, escarola, quiabo, berinjela, batata doce, salsinha, cebolinha, chá verde e preto, aipo, agrião, endívia, amaranto, e figo seco.

A suplementação com elevadas doses de vitamina C e D, o excesso do consumo de gordura e sal também aumentam a possibilidade de formação de cálculo.

Estudos mostram correlação inversa da ingestão de líquidos com a formação de cálculo. Portanto, tome muita água. Deve-se ter cuidado com o consumo de chá verde e mate, pois aumentam os níveis de ácido oxálico.

Para adequar o pH urinário, fator de risco para esta enfermidade, é importante ter bom aporte de frutas e verduras na alimentação.

O consumo de alimentos ricos em fitato (cereais integrais, tofu, castanhas e leguminosas) e potássio reduzem a formação de cálculo.

                O primeiro passo a ser tomado é a prevenção do cálculo e se você já tem história desta enfermidade deve prevenir a recorrência, pois como já foi relatado, a prevalência é elevadas.

Pratique Nutrição Funcional e fique longe da Nefrolitíase.

Juliana Bueno

Nutricionista Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional e Pós-graduanda em Nutrição Esportiva Funcional– CRN2 8860

Para agenda ruma consulta entre em contato em contato pelo telefone 51-3224 4046 ou nos visite na rua Vigário José Inácio, 630/703, Porto Alegre.