Menu Principal
Início
O que é Nutrição Funcional?
Cursos de Extensão
Curso Pós Graduação
Blog
Currículo
Links
Bibliografias
Nutricionistas Funcionais
Artigos/Matérias
Contato
Procurar
Gestação Saudável
Infertilidade
Esclerose Múltipla e Nutrição
Próstata e Nutrição
Disfunção Erétil
Cálculos renais
Sensibilidade ao Glúten
Distúrbios de Humor
Distúrbios do Sono
Administrator

 
 

Alternative content


Distúrbios de Humor PDF Imprimir E-mail
Por Gabriel de Carvalho   
            Os alimentos e nutrientes têm a capacidade de alterar nosso estado de humor. Estudos mostram que alimentos ricos em gordura saturada e trans geram um estado de inflamação, liberando moléculas pró-inflamatória que irão interferir no metabolismo dos neurotransmissores e reduzir os níveis de triptofano, importantes para produzir serotonina, neurotransmissor do bem estar, do bom humor.

            O consumo de alimentos ricos em carboidrato refinado (arroz branco, macarrão, bolachas, pão branco) também tem sido citado quando falamos em mau humor, pois estes levam a uma rápida elevação na concentração sanguínea de glicose, provocando aumento do hormônio insulina, fazendo com que o triptofano entre no cérebro intensamente, o que no início é bom, mas que logo fica a faltar.

A depressão é uma síndrome que inclui, principalmente, alterações de humor como tristeza, irritabilidade e falta da capacidade de sentir prazer. Esta síndrome tem crescido muito na população e pode ser minimizada com alimentação saudável, individualmente equilibrada, e mudanças no estilo de vida.

            O estresse, um dos grandes causadores de distúrbio de humor, é um grande depletor de nutrientes. Sabendo disso, fica óbvio que pessoas estressadas deveriam consumir alimentos mais adequados, mais ricos em nutrientes, enquanto normalmente acontece o contrario, já que a falta de tempo e de preocupação com a saúde, levam a um cardápio pobre (sanduíche, frituras, salgados,refrigerante...), desnutrido, que só traz prazer imediato na língua, enfraquecendo cada vez mais a bioquímica cerebral.

            Pensando que o estresse e a tristeza são fatores desencadeadores de muitas doenças como câncer, por exemplo, é possível perceber a necessidade de rever alguns hábitos urgentemente.

A alimentação rica em alimentos fontes de triptofano, equilibrada em proteínas, vitaminas do complexo B, gorduras mono e poli-insaturadas e ômega 3 têm sido utilizada para tratar a depressão e aumentar a concentração de serotonina, noradrenalina e dopamina no cérebro, moléculas do bom humor, alegria e prazer de viver.

Estando o corpo menos inflamado ele conseguirá responder mais rápido e com maior produtividade, portanto, você alcançará mais sucesso no trabalho, nos estudos e ainda longevidade.

Pratique a nutrição funcional!

 

Juliana Bueno

Nutricionista Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional e Pós-graduanda em Nutrição Esportiva Funcional– CRN2 8860

 

Para agenda uma consulta entre em contato em contato pelo telefone 51-3224 4046 ou nos visite na rua Vigário José Inácio, 630/703, Porto Alegre.